domingo, 21 de junho de 2015

10 Raras Fotografias de Escravos Brasileiros Feitas Há 150 Anos Atrás

Esta postagem adaptamos  de uma publicação  do Site Pernambucano História Ilustrada, por sua relevância para  o  estudo da escravidão nas nossas escolas, nos valendo de recursos imagéticos na abordagem de um tema tão caro para o povo brasileiro, que tem sua ancestralidade relacionada à Diáspora Africana na América. Poderá servir de apoio para o estudo do Brasil Colonia, Brasil Império  e a Escravidão, considerando a raridade de imagens reais de escravos no Brasil. 
A fotografia é um elemento que aproxima o leitor da realidade, daí sua importância na complementação  dos estudos. A fotografia chegou ao Brasil por intermédio do Imperador D. Pedro II, que era um entusiasta dessa arte. O Brasil se tornou um ambiente favorável à prática da fotografia muito cedo. Durante a segunda metade do século XIX diversos fotógrafos, alguns patrocinados pela Coroa, fizeram valiosos registros da realidade vivida no país. 
As imagens que veremos abaixo são do acervo do Instituto Moreira Salles, e algumas delas foram feitas há mais de 150 anos atrás. A qualidade do material, tanto no sentido gráfico quanto em detalhes de comentários nas suas legendas, impressiona e aproxima aqueles que querem entender o cenário escravocrata brasileiro. Elas datam entre 1860 e 1885, período em que o movimento abolicionista se fortaleceu. 
Acompanhe e reflita: 
Quitandeiras em rua do Rio de Janeiro, 1875  
(Marc Ferrez/Acervo Instituto Moreira Salles).
Lavagem do ouro, Minas Gerais, 1880. 
(Foto: Marc Ferrez/Acervo Instituto Moreira Salles).


Primeira foto do trabalho no interior de uma mina de ouro, 1888, Minas Gerais. (Marc Ferrez/Acervo Instituto Moreira Salles).
Escravos na colheita de café, Vale do Paraíba, 1882 
(Marc Ferrez/Colección Gilberto Ferrez/Acervo Instituto Moreira Salles).

O Vale do Paraíba é uma região  situada nas margens da Rodovia Presidente Dutra (BR-116), entre as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo.  Desenvolveu-se em torno da agricultura cafeeira ao longo do rio Paraíba do Sul, entre a Serra da Mantiqueira e a Serra do Mar. Apesar de altamente urbanizada e industrializada, a região também tem reservas naturais importantes, como a Serra da Mantiqueira, na divisa com Minas Gerais, um dos pontos mais altos do Brasil, e a Serra da Bocaina, coberta pela vegetação  de Mata Atlântica, que também inclui pequenas cidades e fazendas de interesse histórico e arquitetônico. Na região localiza-se  o Parque Nacional da Serra da Bocaina (PNSB),  entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Com 104 mil hectares de área, é uma das maiores áreas protegidas de Mata Atlântica do país. 

Escravos na colheita do café, Rio de Janeiro, 1882 
(Marc Ferrez/Acervo Instituto Moreira Salles).

Senhora na liteira (uma espécie de "cadeira portátil") com dois escravos, Bahia, 1860 (Acervo Instituto Moreira Salles).


Negra com uma criança branca nas costas, Bahia, 1870. 
(Acervo Instituto Moreira Salles).


Foto da Fazenda Quititi, no Rio de Janeiro, 1865.
Observe o impressionante contraste entre a criança branca com seu brinquedo e os pequenos escravos descalços,  aos farrapos. 
(Georges Leuzinger/Acervo Instituto Moreira Salles).


O Bairro da Glória, vista do Passeio Público, Rio de Janeiro, 1861 
(Revert Henrique Klumb/Acervo Instituto Moreira Salles).


                           Negra com o filho, Salvador, em 1884 

                        (Marc Ferrez/Acervo Instituto Moreira Salles)


Adaptação feita pela Professora Claudia Martins. Salvador, Bahia, 21/06/2015
Fontes: http://www.historiailustrada.com.br/2014/04/raras-fotografias-escravos-brasileiros.html#.VXTrD89VhBe

Veja também:
História e Memórias da Escravidão Negra nas Telas dos Pintores Debret e Rugendas. O 13 de Maio de 1888                
 http://serravallenaafricadosul.blogspot.com.br/2015/05/historia-e-memorias-da-escravidao-negra.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste seu comentário sem palavrões ou ofensas. Obrigada