quarta-feira, 20 de março de 2013

De Onde Viemos: a fabulosa árvore genealógica humana. Os seres humanos (Homo sapiens) anatomicamente modernos originaram-se na África há cerca de 200 mil anos


Os seres humanos (Homo sapiens) anatomicamente modernos originaram-se na África há cerca de 200 mil anos, atingindo seu comportamento moderno conhecido há apenas cerca de 50 mil anos. A evolução foi longa para chegarmos até aqui. É como um quebra-cabeça que vai sendo montado lentamente enquanto são achados fósseis de nossos antepassados. No gráfico abaixo, você confere as peças dessa árvore genealógica humana que abrange nossa evolução desde 5 milhões de anos atrás até o presente.

Evidências fósseis

Fósseis de hominídeos são preciosos – não importa o tamanho ou condições. Esqueletos completos são raros em nossos tempos. Dentes, ossos faciais e cranianos são os restos de fósseis mais comuns que sobrevivem ao longo dos séculos. Crânios quase nunca são encontrados intactos, e normalmente são reconstruídos a partir de fragmentos.
Quando cientistas chegam a conclusões específicas sobre comportamento de nossos antepassados, eles precisam de partes específicas do esqueleto. Por exemplo, a postura agachada ou em pé pode ser interferida a partir da conexão da coluna vertebral com o crânio, enquanto o bipedismo exige análise de ossos da coxa, joelho ou articulações do pé. Já os crânios são usados para investigar a evolução do cérebro dos hominídeos. [Handprint]

10 ancestrais essenciais da evolução humana

Destacamos  os textos abaixo do Site Hype Science  . Clique no link abaixo para ver as imagens e ler o texto na íntegra. 


"Há cerca de 5,4 milhões de anos começou nossa separação em relação aos grandes primatas e muitos pesquisadores acreditam que o S. tchadensis seria o “elo inicial” deste processo. Em 2001, foi encontrado no Deserto de Djurab (República do Chade) um crânio fragmentado que supostamente era de um S. tchadensis e, ao analisar a parte do crânio que se conectava ao pescoço, imagina-se que o animal era bípede.
Contudo, há quem acredite que não se tratava de um elo evolutivo, pois a caixa craniana era menor (350 cm³) do que a dos chimpanzés (390 cm³). Outros argumentam que o crânio era distorcido demais para ser de uma espécie mais próxima dos humanos do que dos grandes primatas".

10 Mistérios sobre a evolução humana

Os  seres humanos são uma espécie única no planeta, e muitos detalhes sobre a nossa evolução ainda permanecem um mistério. Por que evoluímos para esta direção e não para outra? Por que somos a única espécie humana que ainda existe? Que outros caminhos a nossa evolução poderia ter tomado? E, mais importante: para onde vamos? Confira as discussões e respostas para algumas destas questões!
De onde vieram os humanos modernos?

O debate mais intenso sobre a evolução humana é sobre o local de origem dos humanos modernos. Uma hipótese afirma que os nossos ancestrais saíram da África, de onde se espalharam lentamente por outras partes do mundo, substituindo populações existentes de humanos mais arcaicos. Já a hipótese multirregional acredita que os humanos modernos evoluíram em grandes áreas de humanos arcaicos, com populações de diferentes regiões se encontrando e juntando as características que formam a população moderna. A primeira hipótese é a mais aceita entre especialistas, mas a multirregional também tem um grande número de adeptos. » O homem moderno é um fracote
9. Quem foi o primeiro hominídeo?
Cientistas descobrem cada vez mais antigos hominídeos, bípedes que eram nossos primos, com os quais tínhamos um ascendente em comum, e nossos ancestrais diretos. A tentativa de encontrar o mais antigo é frequente pois a descoberta poderia ajudar a responder questões fundamentais sobre a evolução humana, como quais adaptações aconteceram no corpo humano e em que ordem elas ocorreram. Atualmente, a ossada mais antiga encontrada pelos cientistas é a de um Ardipithecus ramidus, que tem 4,4 milhões de anos de idade.
8. Os humanos procriaram com os Neandertais?
É possível que os humanos tenham procriado fora da sua espécie? Será que nossa espécie ainda pode ter genes de nossos parentes extintos? Alguns cientistas sugerem que os Neandertais não foram extintos, e sim foram incluídos na sociedade humana moderna através da procriação entre as espécies. Isso é pouco provável já que o cruzamento entre espécies gera apenas híbridos que não podem se reproduzir, como a mula. » 10 coisas que tornam os seres humanos especiais
7. Por que a humanidade moderna saiu da África há 50 mil anos?
Há aproximadamente 50 mil anos, humanos modernos saíram da África e passaram rapidamente a viver em praticamente todos os continentes, chegando até a ilhas remotas no Pacífico, por exemplo. Vários cientistas supõem que a migração foi ligada a uma mutação que transformou nossos cérebros, permitindo o uso de linguagens complexas e permitindo que os humanos usassem ferramentas mais sofisticadas, além da criação das artes e das sociedades. A visão mais popular sobre o assunto acredita que este comportamento já existia antes da migração, e que a população possa ter se tornado excessiva na África, causando esta revolução evolutiva.
6. O que é o “hobbit”?
Esqueletos encontrados em 2003 na Ilha de Flores, na Indonésia, foram chamados de “hobbits”. Cientistas não sabem se as pequenas ossadas encontradas pertencem a uma espécie humana extinta ou se são exemplos de Homo sapiens modificados, híbridos ou deformados. Outra dúvida é se eles são apenas uma espécie diferente da nossa ou se são tão diferentes de nós quanto os chimpanzés. Especialistas confiam que descobrir a resposta a essas questões poderia ajudar a lançar uma luz sobre os rumos da evolução humana. » Humanos estão em extinção
5. A evolução humana está acelerando?
Evidências recentes sugerem que a humanidade não apenas ainda está evoluindo como também está evoluindo cada vez mais rapidamente. Muitos cientistas contestam a validade desta afirmação, dizendo que é muito difícil ter certeza se certos genes realmente ficaram mais proeminentes porque oferecem benefícios adaptativos. Ainda assim, se a evolução está acelerando, por que isso acontece? A alimentação e doenças modernas podem ser algumas das pressões que fizeram com que a nossa genética mudasse.
4. Por que nossos parentes próximos foram extintos?
Há aproximadamente 24 mil anos, a nossa espécie, Homo sapiens, não estava sozinha no mundo. Os nossos parentes mais próximos, os Neandertais, ainda estavam vivos. A ossada dos “hobbits” encontrada na Indonésia também poderia fazer parte do gênero Homo, e, de acordo com pesquisas, viveu a até 12 mil anos atrás. Por que estas espécies morreram e a nossa sobreviveu? Mudanças em seu ambiente ou infecções mataram estas espécies? A nossa espécie acabou com as outras? Evidências apontam para as duas possibilidades, mas não há certeza do motivo que levou à extinção destas espécies.
3. O que aconteceu com nossos pêlos?
Uma diferença grande entre os humanos e nossos “primos” evolutivos é a nossa falta de pêlos. Uma hipótese sobre a menor quantidade de pêlos dos humanos afirma que nossos ancestrais evoluíram para perder os pêlos enquanto viviam nas savanas quentes da África. Outra possibilidade é que os pêlos contribuíam com infecções de parasitas e suas doenças. Uma teoria pouco tradicional afirma que perdemos nossos pêlos após uma leve adaptação para uma vida aquática, mesmo que a maior parte dos mamíferos aquáticos de tamanho semelhante ao humano tenham pelagem densa. » Os papais nos tornam humanos
2. Por que somos bípedes?
Nossos ancestrais desenvolveram uma postura ereta muito antes do desenvolvimento do cérebro humano ou o uso de ferramentas. A pergunta é: por que ter a postura ereta e andar sobre dois pés se os primatas próximos a nós andam em quatro patas? Ter uma postura bípede gasta menos energia do que andar sobre as quatro patas, além de liberar os braços para serem usados para carregar comida. Além disso, esta postura pode ter ajudado no controle da temperatura corporal, pois diminui a quantidade de pele exposta diretamente ao sol.
1. Por que desenvolvemos cérebros grandes?
Não há dúvidas que nossos cérebros grandes deram aos humanos uma vantagem enorme em relação aos outros animais. Ainda assim, o cérebro humano é um órgão extremamente custoso ao corpo: ele utiliza apenas 2% da massa corporal humana, mas utiliza quase um quinto da nossa energia. Há 2 milhões de anos, nenhum de nosso ancestrais tinha um cérebro maior que o dos primatas. Então o que causou este aumento? Uma possibilidade é que o aumento da inteligência ajudou para que nossos ancestrais construíssem ferramentas melhores. Outra hipótese afirma que o aumento do cérebro ajudou nas relações com outros humanos, mas a mudança também pode ter ocorrido para que nossos ancestrais pudessem lidar com as mudanças do mundo. » 15 Extraordinários fatos sobre o corpo humano
[Fonte: Live Science]
 Nossa fonte é o site do HypeScience:  Disponível em: 
 http://hypescience.com/24220-10-misterios-sobre-a-evolucao-humana/                Acesso em 29/01/2013

Conheça os três maiores mistérios da evolução humana

Quanto à nossa evolução, apesar de muitos estudos e teorias já terem sido formulados, ainda há muito debate sobre como exatamente nos tornamos, ao longo de centenas de milhares de anos, a espécie humana que somos hoje. Três questões, em específico, dividem opiniões entre os cientistas e curiosos em geral. Aprenda um pouco mais sobre estes pontos, a saber:  

1) Bipedismo (dois pés) Charles Darwin dizia que os ancestrais do Homo sapiens passaram a caminhar sobre dois membros ao invés de quatro por conveniência: foi uma adaptação para deixar nossas mãos livres para criar ferramentas, o que acelerou a evolução. Essa tese já foi derrubada: hominídeos se tornaram bípedes há mais de 4 milhões de anos, enquanto as ferramentas mais antigas de que se tem registro não passam de 2,6 milhões.
Ainda não há certeza sobre o motivo real. Alguns defendem que ser bípedes nos fez mais altos, o que é uma vantagem para visualizar presas e predadores. Outros afirmam que andar sobre duas pernas nos fez mais rápidos e hábeis, ampliando o território por onde podíamos nos expandir e instalar
2)Perda de pelos -Os mamíferos têm o corpo coberto de pelos por proteção: com maior capacidade de conservar a temperatura corporal, os animais podem se instalar em regiões mais frias e inóspitas. Mas os antecessores do Homo sapiens acabaram fazendo o caminho oposto, e também há mais de uma teoria para o que levou a isso.
Uma das ideias afirma que foi o contato com a água. Passando mais tempo de vida nadando em lagos ou rios, fomos perdendo a necessidade de tanta pelagem. É por isso que os mamíferos aquáticos (como a baleia, por exemplo) não precisam disso.
Outra corrente de pensamento, no entanto, defende que a perda dos pelos aconteceu quando os hominídeos deixaram as florestas e passaram a viver também em savanas, onde não há proteção contra os raios solares e poderíamos nos superaquecer. Logo, fomos perdendo a “cobertura”.
Essa teoria parece mais sensata, com um único porém: alguns animais, como leões e zebras, vivem perfeitamente bem e recobertos de pelos nas savanas africanas, onde as temperaturas são sempre altíssimas. 
3) Aumento do tamanho do cérebro -  Nosso desenvolvimento encefálico (aumento do tamanho do cérebro), impulsionou a evolução do Homo sapiens. Neste ponto, nossa distinção dos outros primatas é clara. Enquanto os macacos não podem ter um cérebro muito grande porque as mandíbulas fazem muita força e pressionam o crânio com violência, uma mutação genética teria feito os hominídeos se livrarem deste problema.
A maioria dos cientistas sempre imaginou que o cérebro humano foi pouco a pouco crescendo e nossa capacidade foi aumentando. Mas há quem pense o contrário: as novas habilidades adquiridas ao longo do tempo é que foram conferindo mais complexidade ao cérebro.
Uma nova adaptação é que incitava um novo desenvolvimento do cérebro, e isso teria acontecido incontáveis vezes ao longo da nossa linha evolutiva. New Scientist]
Entre 1,9 e 2 milhões de anos atrás o cérebro de nossos ancestrais aumentou incrivelmente. Agora, cientistas encontraram fósseis que alimentaram uma teoria já existente: o alimento principal deles era peixe, o que pode explicar o aumento da capacidade intelectual que culminou na nossa existência.
Os fósseis foram encontrados no norte do Quênia, acompanhados de ferramentas de pesca.
Cientistas já haviam proposto uma dieta à base de peixe para explicar o aumento no cérebro de nossos ancestrais, mas essa descoberta pode comprovar a teoria.
Apesar de a geografia do lugar estar diferente, cientistas acreditam que, onde eles estão escavando, era um lugar que abrigava um lago.
Alguns pesquisadores, no entanto, acreditam que os peixes eram apenas parte da dieta que causaram o crescimento cerebral nos primatas antigos. Para que isso ocorresse, uma dieta completa, com vegetais e outros tipos de carne, seria necessária. [LiveScience]

Matéria retirada do Site HypeSience. Veja os gráficos e a matéria completa. 
Clique aqui  ou no link abaixo:       

Até  Novembro de 1859 (século XIX), quando o naturalista britânico Charles Darwin criou a Teoria da Evolução, com a publicação do livro ‘A Origem das Espécies Por Meio da Seleção Natural’, os cientistas acreditavam que os seres  teriam a aparência semelhante à que temos hoje.   De acordo com a teoria de Charles Darwin (1809-1882), todas as espécies de animais e vegetais se transformam ao longo do tempo, sobrevivendo apenas aquelas que se adaptam melhor ao ambiente. Acredita-se que  somos descendentes dos mesmos antepassados dos atuais  chimpanzés. Isso não significa que viemos dos macacos, como dizem algumas pessoas, mas que seres humanos e macacos podem descender de uma  mesma espécie.
A  teoria de   Darwin, que diz que as espécies se originam de  processos inteiramente naturais contradiz a crença religiosa, que defende a criação divina  apresentada na Criacionista, que diz que Deus criou o mundo e tudo que nele há, ao contrário da  Teoria da Evolução defendida por Charles Darwin, que diz que os seres vivos surgiram da evolução das espécies. 
http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Origem_das_Esp%C3%A9cies
Teoria da Evolução
Teoria Criacionista


Um comentário:

Poste seu comentário sem palavrões ou ofensas. Obrigada